Rating: 3.1/5 (432 votos)




ONLINE
2



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Frases de Benjamim Constant

  • A gratidão tem memória curta. (Benjamim Constant)
     
  • Infeliz daquele que, nos primeiros instantes de uma ligação amorosa, não acredita que ela vai ser eterna!. (Benjamim Constant)
     
  • Os depositários do poder têm uma disposição desagradável a considerar tudo o que não é eles como uma facção. Eles chegam a incluir às vezes a própria nação nessa categoria. (Benjamim Constant)
     
  • O direito à insurreição não pertence a ninguém, ou então é de todos. Nenhuma classe pode fazer da insurreição um monopólio. (Benjamim Constant)
     
  • Sou demasiado cético para ser incrédulo. (Benjamim Constant)
     
  • Verifiquei que, aos homens, se devia agradecer o menos possível, porque o reconhecimento que lhes testemunhamos os convence, facilmente, de que estão a fazer de mais! (Benjamim Constant)
     
  • As ideias são propriedade comum de toda a gente; só os autores de vaudevilles reclamam contra o plágio. (Benjamim Constant)
     
  • De cada vez que o governo tenta manejar os nossos negócios, fica mais caro e os resultados são piores do que se fossemos nós a fazê-lo. (Benjamim Constant)
     
  • A maior parte dos homens, em política como em tudo, atribui os resultados das suas imprudências à firmeza dos seus princípios. (Benjamim Constant)
     
  • As precauções de que ele se rodeou para que esse pressentimento se não realizasse fizeram precisamente que ele se houvesse concretizado. (Benjamim Constant)
     
  • A calúnia é um assassino moral. (Benjamim Constant)
     
  • Nós somos criaturas de tal modo volúveis que até acabamos por sentir os sentimentos que fingimos. (Benjamim Constant)
     
  • Sou como um paralítico que encontrou na imobilidade o meio de evitar as suas quedas. (Benjamim Constant)
     
  • (...) Todo sentimento precisa de um passado pra existir
    O amor não, ele cria como por encanto um passado que nos cerca
    Ele nos dá a consciência de havermos vivido anos a fio
    Com alguém que a pouco era quase um estranho
    Ele supre a falta de lembranças por uma espécie de mágica..." (Benjamim Constant)